terça-feira, 20 de julho de 2010

Postagem inicial

Confesso que eu sempre fui uma criança chata, queria tudo na hora e adorava comer as ditas porcarias. Ainda mais quando eu estava na casa da minha avó. Sabe como é, avó adora ver os netos se empanturrarem de doces. (Até hoje ela faz uma torta de Sonho de valsa que é sucesso no natal...)

Acabei sendo criado de uma maneira que só comia o que queria. Minha mãe sempre me dizia que era impossível eu saber que uma coisa era ruim sem experimentá-la. Certo, quanto os pratos "saudáveis" devo confessar que não segui muito seu conselho, porém, hoje, experimento as mais diferentes bebida. C'est la vie.

Tudo começou quando eu tinha meus 15 anos de idade. Sabe interior, né, ainda mais aqui do nordeste (afinal, sou cearense), todo mundo adora festa, ainda mais quando se trata de forró. E foi justamente numa festa de forró que eu acabei experimentando a sensação de ficar melado.

Antes o máximo que eu fazia era um ou outro gole na dose de uísque dos meus primos maiores. Na época era forte para mim, mas tinha mais água do gelo derretido que uísque propriamente dito. Enfim, foi numa festa dessas que acabei chegando mais cedo, às 22h. Bem no começo da festa, não tinha quase ninguém. Eu tava meio pesado, quando deu meia noite o sono veio bater em mim. Eu não queria ir para casa, então, quando olhei a mesa dos meus amigos, tinha um belo litrão de cachaça. Ypióca, Paixão Brasileira. Época de vacas magras, hoje essa mesma turma de amigos só bebem uísque de 8 anos para cima, mas enfim.

Fui no bar da festa e comprei uma latinha de Fanta Laranja - afinal, eu nunca havia bebido antes, achei uma boa misturar, hoje não faço mais isso -, logo colocando alguns goles de cachaça dentro. Sempre fui muito tímido, muito fechado, mas naquela noite acabei me soltando. Acho que poucos viram que eu havia bebido, logo se perguntaram o que tinham naquela latinha que me deixou tão alegre. Dancei forró como se dançasse PsyTrance.

Foram três doses nessa brincadeira. Porém, é fato que no primeiro porre você bebe pouco, fica pouco bêbado, mas seu inconsciente te faz a pessoa mais bêbada e alcoólatra do mundo. Bom foi quando cheguei em casa: "Você bebeu, Pedro?", perguntou minha mãe. "Bebi todasssss", respondi. Sempre fui brincalhão em casa, naquele dia ela achou que eu tava me fazendo de bêbado só para brincar com a cara dela. Naquele dia.

Enfim, nos meses que se passaram eu só bebia cachaça. Cachaça, cachaça, cachaça, cachaça. Depois acabei descobrindo a cerveja, o uísque, a vodka... ah, a vodka. Mas isso é assunto apra outro dia.

Abraços,
Se for dirigir, não beba; mas se for beber, me chama que eu vou.

10 comentários:

Marcos A. G. Carneiro disse...

Interessante a proposta do blog.
Parabéns.

RehSantos disse...

Muito bom..
Bem vindo ae a Blogsfera..

http://redesenhei.blogspot.com/
Passa lá.

Arthur Montinely disse...

Que criança chata, uhauhauhaha
Seu blog vai ser mais pessoal entao né?
gostei do texto, vou te seguir... abração

http://www.arthurmontinely.com.br

Henrique Lessa. disse...

Excelente texto. Porém, acho que não seguiria seu exemplo HAHA' (escreve muito bem).

Deborah disse...

Já sabia que tu era alcoólatra desde de pivete!hahaha
coitada da tua mãe,mal sabe ela que o filho bebe todas por ai!! hehehehe
Quero ver quando tu começar a falar ai dos churras,das farras com os melado'Z! ieeeeeeii

L ine disse...

Muito bom o texto.
Boa sorte com o blog.

Pontes disse...

Vc devia ser uma criança irritante. hahahaha

Camila R disse...

nossa esse blog vai ter história!

Italo Gomes disse...

kkkkkkkk.. Postangem divertida

Seja bem vindo ao Blogger.. é maneiro

http://italoopensador.blogspot.com/

xD

Rafael Queiroz disse...

haha, BEM VINDO AO BLOGGER!
boa sorte cara, desejo sucesso para seu blog.
abraço